GUIA: Orquídea Cattleya: Cultivo, Cuidados, Características

A orquídea cattleya é, sem dúvidas, um dos mais conhecidos e cultivados gêneros de orquídeas. Este gênero se originou na América central e América do sul. As flores são grandes (podendo medir até 8 polegadas) e perfumadas, o que a faz uma das favoritas de muitos amantes de orquídeas. São 113 espécies diferentes catalogadas. Elas podem surgiram em todas as cores, porém as mais comuns é o branco e o roxo. Nesse artigo, você vai conferir um guia completo com tudo o que você precisa saber sobre a orquídea cattleya.

FlorecimentoPrimavera e Outono
ÁguaDeve ser regada bastante
LuzNecessita de muita luz solar
TemperaturaEntre 20 e 30 graus
FerilizantesNecessita de pouco
CrescimentoNovas flores todos os anos
TaxonomiaGênero Cattleya da Tribo Epidendrae
Cores comunsRoxo e branco
cattleya
Uma Cattleya adulta já produz flores. São contados de 4 a 7 anos após a plantação da semente para se observar o primeiro florescimento. Com os devidos cuidados, uma orquídea cattleya vai florescer todos os anos. E quais são estes cuidados? Vamos conferir abaixo.
luz e sombra

Luz e Sombra

Para o seu crescimento saudável e floração, as cattleyas exigem uma quantidade razoável de luz solar. A sua tolerância de luz é diretamente proporcional a umidade e ventilação do ar. Elas devem permanecer cerca de 60% do tempo na sombra. Caso a sua orquídea receber pouca luz solar, ela vai apresentar um tom verde escuro nas folhas. Em algumas regiões mais quentes do Brasil, você deve sombrear as suas plantinhas durante o sol do meio dia, que pode acabar por prejudicar o crescimento da sua planta. É importante equilibrar a luz solar, a umidade e a temperatura.
temperatura

Temperatura

Como a sua origem é de regiões onde o sol é quente e intestino, boa parte das espécies resistem até altas temperaturas. Caso você cultive as suas orquídeas em estufas, atente para que elas recebam o máximo de luz solar possível. Embora elas resistam a altas temperaturas, há um limite onde a exposição ao sol se torna prejudicial. Saiba que se as suas orquídeas cattleya não receber luz o suficiente, ela pode decidir por não florescer.
dicas de plantas

Circulação do Ar

A ventilação é recomendada em climas onde a umidade é alta e a temperatura é mediana ou baixa. Em casos de umidade baixa e temperatura alta, a ventilação não é recomendada, pois acaba por drenar o pouco de umidade que o ambiente apresenta atrapalhando o crescimento das orquídeas. A circulação do ar é importante principalmente no período da noite.
umidade

Umidade

A umidade ideal para este tipo de orquídea é entre 40% e 70%. Pode ser necessário umidificar o ambiente no período noturno, onde a umidade ambiente é mais baixa.
como regar

Como regar

Regar de forma indiscriminada pode acabar por levar a óbito as suas amadas plantinhas. Por isso, é importante saber quando regar e como regar. Uma medida ideal é uma vez por semana, porém a frequência de irrigação deve ser diretamente proporcional a baixa umidade do ar. Via de dúvidas, erre pela falta do que pelo excesso. Ou seja, na dúvida, não regue. O momento ideal para a regagem é quando o substrato estiver seco.
fertilizantes

Fertilizantes

As cattleyas podem crescer muito bem sem o uso de fertilizantes. Alguns especialistas recomendam que não se use nem mesmo os fertilizantes feitos para orquídeas. O excesso de fertilizantes podem levar a esta plantar perder as suas raízes e até mesmo ir a óbito. Caso queira fertilizar, o faça de duas em duas semanas somente nos primeiros anos da planta.
origem

História e Origem

O primeiro documento que registra esta flor nos manuais botânicos foi feito na Europa por volta do ano de 1819. O orquidólogo responsável por dar o nome foi o Dr. John Lindley, homenageando o Sr. William Cattley, um dos primeiros colecionadores de orquídeas exóticas (tendo uma das maiores coleções na época). Após isso, diversas espécies passaram a ser descobertas. Cada uma tinha algumas diferenças do primeiro exemplar descoberto: cores, florações e outras características. Desde então, o processo de hibridização gerou mais e mais espécies.
em jardins
formatos diferentes
clarinha
amarela
rosa
branca
como cultivar
as mais belas
dicas de flores
orquidario
para ajrdins
orquideas

cattleya
orquídeas cattleya
supreendente
orquídea
cattleya
dicas de cuidados
em várias cores
da América do sul
da américa
para os amantes
para quem gosta
as magníficas
dicas de orquidarios
as mais bonitas da natureza
para cuidar
branco e roxo
da américa central
dicas de flores

Espécies

Confira as principais espécies desse gênero de orquídeas:
  • Candida (chocoensis, quadricolor): encontrada primeiramente na Colômbia, essa espécie tem grandes pétalas e pode ser da cor branca ou de um lilás pálido. Seus lábios são amarelos. As flores são muito perfumadas, porém não se abrem completamente. O período de floração é de novembro a janeiro.
  • Dowiana: natural da Costa Rica. Foi descoberta no ano de 1850. As pétalas são da cor amarelada. Eis uma espécie muito rara de ser encontrada em orquidários.
  • Aurea: eis uma variação da dowiana, também descoberta na Colômbia. Eis uma variação utilizada, principalmente, em processos de hibridização. Suas sépalas são mais amareladas que a dowiana e sua região nativa é separada da mesma.
  • Wallisii: eis uma das minhas espécies favoritas. Ela é natural do nosso país, o Brasil. Foi descoberta no ano de 1866. As cores variam do lilás ao branco. Como ela é nativa do nosso país tropical, cresce em climas mais quentes. Seu florescimento se dá de julho a setembro.
  • Gaskelliana: natural da Venezuela, nossa vizinha. Tem suas flores bem grandes. As cores variam entre o roxo e o branco puro. O período de floração é de junho a setembro. Eis uma bela espécie para ser cultivada em casa, dado que não exige grandes cuidados.
  • Hardyana: eis mais uma orquídea natural da Colômbia, nossa vizinha. Eis um híbrido natural entre a C. aurea e a C. warscewiczii. Ela floresce com grandes flores, suas pétalas são rosas brilhantes, e muito perfumadas.
  • Labiata: outra plantinha que surgiu em nossas terras tupiniquins. Ela conta com de três a cinco flores, que variam no quesito cor. Você a encontra facilmente em orquidários brasileiros.
  • Lawrenceana: eis uma orquídea descoberta na selva por volta de 1840. Ela é muito semelhante ao grupo laviata, porém tem bulbos mais finos. O período de florescimento é entre março e abril.
  • Luddemanniana: mais uma espécie venezuelana na nossa lista. Suas cores vão do rosa, roxo e até o branco puro. O seu florescimento é na primavera.
Este gênero de orquídea não é dos mais fáceis de cultivar. Porém, as recompensas são muito agradáveis. Eis uma bela flor e muito perfumada. O maior erro que cultivadores iniciantes podem cometer é não fornecer luz solar o suficiente para que a planta floresça.
Este artigo te ajudou? Compartilhe-o com seus amigos!
Este artigo te ajudou? Esperamos que sim! Compartilhe isso para o mundo: Obrigada! 😘
One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest